Tratamento de melanose solar em Florianópolis

Tratamento de melanose solar em Florianópolis

Já reparou que, principalmente quem tem a pele mais clara e em pessoas de mais idade, é comum encontrarmos umas manchinhas acastanhadas ou marrons? Ademais, essas manchinhas são, na verdade, a melanose solar.

Portanto, ainda conhecida como mancha senil devido ao público em que é mais recorrente, a melanose solar é causada pelo aumento de melanócitos, justamente as células que produzem a melanina, responsável pela pigmentação da nossa pele. Consegue imaginar o que causa esse aumento? Sim, isso mesmo: a exposição solar sem a devida proteção.

A diferença entre melanose solar e leucodermia gutata

Você que está lendo este artigo pode ter notado que, embora não possua manchinhas marrons, tem algumas manchinhas brancas na pele. Então, será que são a mesma coisa? A resposta é não, embora tenham algumas coisas em comum, são lesões de pele diferentes.

Embora também sejam causadas pelo sol, as manchas brancas são chamadas de leucodermia gutata, conhecidas como sarda branca. Similarmente, outra característica é que também se originam devido a alterações na estrutura dos melanócitos, que podem continuar gerando essas manchinhas mesmo muito tempo depois de ter sido interrompida a exposição ao sol.

 

Diferenças entre Melanose solar x Elastose Solar x Poiquilodermia solar x Queratose solar

Além da melanose solar, existem mais quatro tipos de manchas senis, cada uma com suas particularidades e todas causadas pela incidência de luz solar. Veja quais são as diferenças entre as manchas senis!

1. Melanose solar

Possuem cor castanho claro ou escuro, tendo tamanhos variados de manchas, aparecendo na face, antebraços e mãos. Acontecem pelo aumento dos melanócitos, tanto no número quanto na atividade. Os melanócitos são células que dão o pigmento escuro na pele, como já comentado.

2. Elastose solar

Se caracteriza por vermelhidão, espessamento e formação de sulcos na pele. Acontece com a degeneração das fibras colágenas e elásticas, causadas pela luz solar, tendo maior ocorrência na nuca e no colo.

3. Poiquilodermia solar

São manchinhas avermelhadas, resultantes de um número elevado de vasinhos na superfície da pele, principalmente no colo e pescoço.

4. Leocodermia gotata solar

Problema caracterizado pelo surgimento de manchas brancas, diferente da melanose solar, que acabam deixando a pele mais fina, em geral, acomete os antebraços.

5. Queratose solar

Caracterizada pela formação de uma casca áspera amarelada ou cor acastanhada na pele, que ressurge mesmo se retirada. Aparecem no dorso das mãos, orelhas, couro cabeludo, antebraços ou face. Por mais que sejam benignas, podem se transformar em carcinoma espinocelular, um tipo de câncer que pode ser fatal.

Prevenção em primeiro lugar

Tanto a melanose solar quanto a leucodermia gutata podem ser prevenidas com a proteção solar adequada da pele que fica exposta ao sol. Porém, não basta usar protetor solar somente quando estiver na praia ou na piscina, é preciso proteger-se do sol no dia a dia também: a pele do rosto, do pescoço e das mãos são as que mais sofrem com a exposição solar.

Portanto, o que acontece é que a exposição solar sem proteção por longos períodos danifica as células da derme e epiderme. Dessa forma, causando o aparecimento das manchas no futuro.

 

Leia também sobre os cuidados que devemos ter com o sol no dia a dia, aprenda ainda mais sobre como cuidar de sua pele.

Como se proteger e prevenir as manchas senis

Precipuamente, as manchas senis podem aparecer a partir dos 50 anos, e a melhor forma de prevenção seria se expor o mínimo possível à luz solar. Mas, como isso é inviável, soluções alternativas podem ser adotadas.

1. Use sempre o filtro solar

Para o dia-a-dia, utilize filtro solar com fatoração 30. Porém, ao frequentar clubes, praia ou piscina, opte pelos filtros ainda mais fortes como por exemplo o de fatoração 60, para formar uma barreira eficiente contra os raios solares. 

Certifique-se de usar a quantidade correta de produto. Se usado menos do que o indicado, o fator de proteção pode cair pela metade!

O indicado para aplicação no rosto e pescoço é o equivalente a uma colher de chá de protetor solar em cada área, dobrando a quantidade para cada área restante como coxas, braços e tronco.

2. Abuse dos acessórios

Use e abuse dos acessórios para aumentar a proteção contra os raios solares. Bonés, chapéus ou lenços no pescoço podem evitar que os raios UVA e UVB cheguem até a pele. Hoje, existem também roupas confeccionadas com tecidos que já tem proteção solar, barrando uma boa parte dos raios nocivos.

Opções de tratamento

Hoje em dia, felizmente, para quase tudo aquilo que nos incomoda há um tratamento disponível, e na dermatologia não é diferente. Para atenuar efeitos da melanose solar e da leucodermia gutata existem diversos tipos de tratamento, como:

  •  Peeling químico;
  • Terapia fotodinâmica;
  • Cauterização química;
  • Laser;
  • Dermoabrasão; entre outros.

Além desses tratamentos, também pode ser utilizada a microinfusão de medicamentos na pele, uma técnica conhecida como MMP. Esse método de tratamento é muito eficaz, já que injeta a medicação necessária diretamente no local, através de microfuros.

Com essa técnica, inclusive, é possível realizar diversos tratamentos de pele não só com o objetivo de reduzir manchas, também para melhorar a saúde e a estética de modo geral. Outros procedimentos para tratar manchas causadas pelo sol, incluem:

1. Black Peel

É uma máscara que combina laser e carvão ativado, indicada para todos os tipos de pele, exceto alérgicos aos ingredientes da fórmula, gestantes e lactantes. O carvão potencializa o efeito do laser, aumentando a produção de colágeno, podendo tratar manchas e rejuvenescer a pele.

2. Luz Intensa Pulsada

Além de ser utilizada para depilação definitiva, a luz pulsada pode ser utilizada na remoção de manchas. É emitido um feixe de luz único na pele, que é atraído pela melanina, atingindo os vasos sanguíneos. Após a sessão, forma-se uma crosta fina na pele, começando o processo de cicatrização e clareamento da mancha.

4. Peeling

O peeling atua nas camadas superiores da pele, podendo tratar as manchas senis além de outros problemas. Pode ser químico, realizado à base de ácidos, físico usando aparelhos que realizam uma raspagem na pele ou por laser.

Você sofre com melanose solar? Entre em contato e agende sua consulta clicando aqui!

Fontes: Dermaweb / Vix / Clínica da Pele/ Tua Saúde / ADCOS / Minha Vida / Caras

Deixe um comentário