Hiperplasia Sebácea: conheça mais sobre a doença e tratamento em Florianópolis

Hiperplasia Sebácea: conheça mais sobre a doença e tratamento em Florianópolis

Hiperplasia Sebácea é uma alteração benigna e ocorre quando as glândulas sebáceas aumentam de tamanho. Essas glândulas estão presentes em toda a pele do corpo, com exceção das plantas dos pés e das palmas das mãos.

Surgem, comumente, em adultos a partir da meia-idade, de pele clara e, de preferência, em quem possui pele oleosa. Essas lesões podem aparecer em locais isolados, como também de forma múltipla, especialmente na face.

Apresentam-se como pequenas pápulas cor de pele ou amareladas, com cerca de 2 a 9 milímetros. Entre os locais que mais surgem, estão: nariz, testa e bochechas. Podem surgir também na boca, escroto, aréola, vulva, peito, eixo do pênis e no prepúcio. Saiba mais sobre a doença.

Quais os sintomas da Hiperplasia Sebácea?

A Hiperplasia Sebácea é identificada por saliências arredondadas no rosto, com uma depressão no centro, de textura macia e de coloração rosada, amarelada ou cor de pele.

Elas podem sofrer dilatação ou um aumento de tamanho, ficando visíveis e incômodas, esteticamente falando, devido aos hormônios androgênicos. Além disso, a patologia pode surgir em pessoas de ambos os sexos, raça e em qualquer fase da vida adulta.

Porém, podem ser confundidas com o carcinoma basocelular quando ocorrem de forma isolada. Por isso, é fundamental passar por uma consulta com um dermatologista para que esse identifique o real problema.

Esse diagnóstico pode ser através de um exame clínico ou, caso seja mais grave, o profissional irá solicitar uma biopsia. Dessa forma poderá descartar outro tipo de lesão semelhante na pele. Somente assim pode-se indicar um tratamento seguro e eficaz.

Como tratar a Hiperplasia Sebácea?

Embora não seja uma alteração maligna, as pessoas buscam tratamento por razões de ordem estética. Entre eles, o dermatologista pode indicar:

Isotretinoína

É um tratamento indicado para reduzir a quantidade de lesões espalhadas na pele. Porém, o paciente precisa saber que, em caso de descontinuação do procedimento, a doença pode ter recidiva.

Eletrocoagulação

O procedimento queima as lesões e destrói as glândulas de tamanho elevado.

Outros procedimentos

Além desses tratamentos, existem outros que são eficazes, como: cauterização química, crioterapia, excisão e shaving. Porém, embora podem funcionar, também possuem um risco maior de ocasionar cicatrizes residuais e manchas.

É importante saber que a Hiperplasia Sebácea pode ser evitada através da terapia fotodinâmica. Esta é capaz de minimizar a secreção de glândulas sebáceas, reduzindo a progressão da patologia. Após eliminar a doença, o profissional poderá também indicar a isotretinoína oral, que oferece efeitos positivos na prevenção de novas lesões.

Siga-me nas redes sociais Facebook e Instagram e fique sempre bem informado!

Fontes: Dermatologia SP e Dermatologia e Saúde.

CRM/SC | 14625 RQE 12663

Deixe um comentário