O que o ácido poli-l-lático (Sculptra) pode fazer pela sua pele?

O que o ácido poli-l-lático (Sculptra) pode fazer pela sua pele?

Muito se pesquisa e muito se faz para manter a pele com aspecto jovem. Procedimentos estéticos diversos como o preenchimento de rugas, fazem a cabeça do público (em sua maioria feminino) para retardar os aspectos do envelhecimento na pele. Na busca para manter a juventude, chegou-se ao conhecimento do ácido poli-l-lático.

O ácido se trata de um bioestimulador, que estimula a produção de colágeno da pele e a regeneração dos tecidos cutâneos na área em que é aplicado. Seu principal intuito é o tratamento da flacidez da pele, podendo culminar em um rejuvenescimento mais natural!

Produz também um certo aumento de volume, possibilitando a remodelação tecidual, sendo usado para fins cosméticos desde 1999 na Europa, e desde 2004 nos Estados Unidos, como ferramenta no combate contra a lipoatrofia causada pelo vírus do HIV. Confira os benefícios de se utilizar os procedimentos com ácido poli-l-lático na busca para uma pele mais jovem e saudável.

Benefícios e indicações do ácido poli-l-lático

A técnica de aplicação do ácido poli-l-lático (PLLA) não é utilizada somente na área facial, mas também nos braços, coxas e glúteos, ao ajudar na amenização de celulite e flacidez nessas regiões.

Utilizada para tratar a flacidez abdominal pós gravidez ou tratamento do “bigode chinês” (sulco labiomentual). Além disso, com bom impacto para quem deseja perder gordura facial, principalmente por meio de medicamentos antirretrovirais nos pacientes soropositivos.

As restrições da aplicação do ácido poli-l-lático são relativamente poucas:

  • O procedimento não pode ser realizado em gestantes, pelo fato de que ainda não existem estudos que excluam as restrições.
  • É contraindicado para pacientes que sejam alérgicos a algum produto presente na técnica.
  • As aplicações não podem ser realizadas nas áreas próximas de alguma infecção cutânea.
  • Só pode ser realizada por médicos dermatologistas que possuam domínio da técnica.

Outras possibilidades de tratamento e restrições da técnica

O colágeno é a proteína natural responsável pela firmeza da pele. A partir dos 25 anos, o corpo vai diminuindo sua produção, fazendo com que a flacidez apareça progressivamente.

Para retardar a flacidez e estimular a criação de colágeno, o dermatologista define a duração e dosagem da aplicação do ácido poli-l-lático, podendo ser iniciado logo nos primeiros sinais de flacidez. Em muitos casos, o tratamento retarda ou até dispensa a necessidade de cirurgia plástica. Após determinada a área em que será realizado o tratamento, o médico aplica uma anestesia local, seguida da aplicação do ácido.

Massageia-se o ponto da aplicação, e são feitas recomendações de cuidados a se fazer em casa: compressas geladas, evitar exposição ao sol e massagens diárias no local. Os efeitos são notados com cerca de 6 semanas após o procedimento. Em alguns casos, apenas uma sessão é suficiente, mas o número de aplicações varia de pessoa para pessoa e do tratamento que será realizado. Geralmente, o intervalo entre sessões é de 4 a 6 semanas.

A maior vantagem desse procedimento é que o resultado ocorre gradualmente a cada sessão realizada. Como o ácido é totalmente absorvido pela pele, não causa reações alérgicas, além de ser uma técnica indolor. Podem ocorrer pequenos inchaços ou hematomas, que desaparecem naturalmente após poucos dias. No geral, os resultados de antes e depois são satisfatórios aos pacientes.

Siga nossas redes sociais Facebook e Instagram

 

CRM/SC | 14625 RQE 12663

 

Fontes: Mulheres Empreendedores PI e Scielo.

Deixe um comentário